Serviço do Metrô-DF foi interrompido 67 vezes por incidentes em 2023

Em 2023, foram 67 incidentes que causaram interrupções, sendo 20 por causas externas. Metrô diz que segue trabalhando para aprimorar sistema

0
24

No ano passado, os trens da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) sofreram 67 incidentes que geraram interrupções dos serviços prestados pelo transporte público. O valor é 52% maior do que o registrado em 2022, quando houve 44 incidentes do tipo.

De acordo com o Metrô-DF, as causas das interrupções são caracterizadas como externas ou internas. As mais impactantes são problemas nos trens, na sinalização por descarga atmosférica e vandalismo por furto de cabos.

No ano passado, dos 67 incidentes notáveis, 20 foram por causas externas. Em 2019, foram 57 incidentes, sendo 53 por causas internas e 4 externas; em 2020, foram 46, sendo 41 por causas internas e 5 externas; em 2021, foram 33, 27 por problemas internos e 6 externos; em 2022, foram 44 ocorrências , 38 por causas internas e 6 por fatores externos.

Veja o número de interrupção de serviços dos últimos anos:

2019: 57
2020: 41
2021: 33
2022: 44
2023: 67

Em 2024, duas situações impactaram os serviços do Metrô no DF. Em 12 de janeiro, a circulação dos trens precisou ser interrompida devido a um incêndio no vagão de um veículo próximo à Estação Águas Claras.

De acordo com a Companhia do Metropolitano, o trem apresentou uma falha de tração no local, o que fez com os usuários tivessem de desembarcar naquela estação após o piloto receber alerta. A circulação dos trens foi retomada horas após.

Entre 15 e 16 de janeiro, o Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) apresentou falhas nos cartões vale-transporte, e alguns passageiros relataram que tiveram o acesso bloqueado nas catracas dos ônibus e do metrô. As catracas ficaram liberadas até o problema ser resolvido.

Outras interrupções

Em dezembro do ano passado, o Metrô-DF interrompeu a circulação de trens em todas as estações da capital federal devido a um problema no fornecimento de energia.

Já em fevereiro, uma pane geral causada por atos de vandalismo gerou problemas de sinalização. Segundo a companhia, furtos de cabos da rede levaram a uma pane geral, à interrupção da circulação dos trens e ao fechamento de todas as estações de metrô por 8 horas.

Já em 2022, alguns casos de falha de sinalização causaram a interrupção dos serviços. Nos outros anos, há registros de panes em trens, interrupção por causa de chuvas e até pessoas nos trilhos.

O que diz o Metrô

Segundo a companhia, o aumento das interrupções em 2023, quando comparado com os anos anteriores, se deu principalmente pelo aumento de causas externas, ou seja, sem relação com o sistema.

“Ou seja, em 2023 houve mais do que o triplo de fatores externos que causaram incidentes notáveis em relação a 2022 e cinco vezes mais do que houve em 2019”, diz a companhia, em nota.

“O Metrô-DF informa que segue trabalhando para aprimorar o sistema. Estão no planejamento (e já em análise no governo federal para entrar em linhas de financiamento) a compra de 15 novos trens, a modernização do sistema de energia e do sistema de sinalização e controle. Além disso, está em processo de aquisição um novo sistema de câmeras (com fibra ótica) para maior segurança contra invasões na área do Metrô”, completa a nota.

Além disso, a companhia afirma que está reforçando a manutenção. “Foi inclusa, recentemente, a manutenção preditiva para os trens, que usa termografia para verificar se há superaquecimento. Esta manutenção já era feita no Sistema de Energia.”

Por Samara Schwingel da Metrópoles

Foto: Hugo Barreto/Metrópoles / Reprodução Metrópoles