Fábrica Social do DF abre 250 vagas para curso gratuito de corte e costura

As inscrições começam nesta quarta-feira (08/02) e vão até o dia 24 de fevereiro. A idade mínima para se inscrever é de 16 anos

0
204

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda do Distrito Federal (Sedet) abre nesta quarta-feira (8) as inscrições para 250 vagas do curso de corte e costura da Fábrica Social. Podem se inscrever pessoas a partir de 16 anos, que façam parte do Cadastro Único (CAD) ou que tenham renda mensal per capita de R$ 200. Não podem participar quem já tenha feito algum curso do programa. As inscrições vão até o dia 24 de fevereiro e podem ser feitas no site da secretaria ou em qualquer uma das 14 agências do trabalhador do DF. O curso é gratuito.

O Edital de Chamamento Público nº 05/2023 foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (6). Confira aqui.

A expectativa é que todas as vagas sejam preenchidas. “Com essas oportunidades, nós completaremos as 600 colocações oferecidas pela Fábrica”, afirma a subsecretária de Integração de Ações Sociais, Daniele Passos. Segundo a gestora, já há um curso de corte e costura em andamento na Fábrica Social. A carga horária de cada turma é de mil horas, o que equivale a um ano de aprendizado. “As pessoas saem do curso prontas para o mercado de trabalho, com capacitação para costureiros e costureiras profissionais”, ressalta.

Para os jovens de 16 e 17 anos, é necessário que pais ou responsáveis legais preencham um formulário de autorização. Já as pessoas com deficiência devem apresentar um laudo médico com validade máxima de 12 meses. De acordo com a subsecretária, a Fábrica Social mantém interface com as empresas, que podem contratar alunos que concluam os cursos. “95% dos interessados são mulheres e a idade da maioria é de 25 a 30 anos”, frisa Daniele Passos.

A subsecretária lembra que as pessoas que terminarem o curso e desejam empreender podem procurar o Prospera, programa direcionado a pessoas físicas ou jurídicas, das áreas urbanas e rurais, que possuem atividades produtivas de pequeno porte. Hoje, os valores cedidos variam de R$ 4,2 mil a R$ 83 mil – e parcelas divididas em 36 vezes mensais para quitação.

Por Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília