Produtores são beneficiados com biodigestor doado pela Embaixada de Israel

De acordo com o secretário de Relações Internacionais, Paco Britto, a doação do equipamento é um passo a mais rumo a um DF mais sustentável

0
62

Já pensou transformar todo o lixo orgânico em uma fonte de combustível que substitui o gás de cozinha? Isso é possível graças ao equipamento chamado de biodigestor, que transforma esses resíduos orgânicos em energia renovável na forma de biogás. O equipamento — doado pela Embaixada de Israel em parceria com a Secretaria de Relações Internacionais (Serinter) — foi instalado nesta quarta-feira (29) e vai beneficiar os moradores do Assentamento Oziel Alves III, no Pipiripau II, em Planaltina.

De acordo com o secretário de Relações Internacionais, Paco Britto, a doação do equipamento é um passo a mais rumo a um DF mais sustentável. “O biodigestor significa muito, tanto para o meio ambiente quanto para as famílias que o estão recebendo. Com a sua chegada, é uma residência inteira que não gera mais resíduo orgânico. São pessoas que não gastarão mais com a compra de gás, que passa a ser produzido pelo próprio equipamento”, explica.

Além de economizarem financeiramente cerca de R$ 260 por mês com a compra de botijão de gás de cozinha, as famílias Barros e Santos, que moram no assentamento, também serão beneficiadas com o biofertilizante oriundo do processo. Esse material é rico em nutrientes que fortalecem o solo e, no caso específico dos moradores, será utilizado na adubação da horta das famílias.

Para o pesquisador em agroecologia do Instituto Federal de Brasília (IFB) Udi Lyncon, o equipamento estimula não só a agricultura familiar, mas as boas práticas em sustentabilidade e saúde. “O biodigestor é uma tecnologia excelente. Ele é portátil e fácil de instalar. A pessoa consegue montar tudo sozinha em casa. Para ativar o equipamento, basta colocar esterco e água e esperar um tempo para começar a alimentar com a matéria orgânica. A única tarefa do agricultor é inserir os resíduos orgânicos, não há manutenção necessária a ser feita. O agricultor alimenta o sistema e o sistema alimenta o agricultor por meio do biofertilizante e do gás para cozinhar”, informa.

Janderson Barros, produtor agroecológico, educador do campo e um dos moradores beneficiados com o biodigestor, comemora a chegada do equipamento na sua propriedade: “Estamos muito empolgados. Já tem dias que a gente aguarda a chegada do biodigestor. Somos sete pessoas aqui. Nós vamos ter uma economia financeira significativa. Ainda tem o biofertilizante, que vai ser muito útil na nossa plantação”.

De acordo com o agrônomo da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) Athaualpa Nazareth Costa, a expectativa é que esse seja um projeto-piloto a ser replicado em outras regiões do DF.

“É uma iniciativa muito importante por causa da solução encontrada para diminuir os resíduos orgânicos que lotam o nosso aterro. Com o biodigestor, a família aproveita esse resíduo e ainda gera economia. A expectativa é que possamos trabalhar mais isso em outros locais a partir do monitoramento que iremos fazer nesse projeto”, pontua.

Um representante da Homebiogás, empresa responsável pelo biodigestor, também esteve no local para acompanhar a instalação. “Para nós, é uma parceria muito interessante. Eu estive com o secretário de Relações Internacionais e com o embaixador para apresentar o projeto e eles gostaram. A partir daí surgiu a parceria, na qual a embaixada adquiriu o equipamento, de R$ 25 mil, e doou para o Governo do Distrito Federal”, detalha Daniel Lopes, responsável pelas relações governamentais da Homebiogás.

Com informações de Thaís Miranda, da Agência Brasília

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal Brasília