Restaurantes comunitários fazem campanha de prevenção à pressão alta

As 14 unidades do DF preparam ações para conscientizar famílias em situação de vulnerabilidade social sobre fatores de risco e prevenção da hipertensão

0
47

Combate à hipertensão ou pressão alta. Esse é o tema da ação de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) realizada a partir desta terça-feira (16) nos 14 restaurantes comunitários do DF. O objetivo é conscientizar as famílias em vulnerabilidade social que frequentam as unidades sobre a importância de prevenir a doença e os fatores de risco, como alto consumo de sal, de produtos industrializados e bebida alcoólica.

“Além de fornecer refeição a um preço acessível à população, também faz parte do Restaurante Comunitário incentivar alimentação saudável e nutricionalmente adequada à população mais vulnerável. Esse é o objetivo das ações mensais de Educação Alimentar e Nutricional. Por isso, pesquisamos sempre assuntos atuais que fazem parte do cotidiano das famílias”Ana Paula Marra, secretária de Desenvolvimento Social

“A hipertensão é uma doença crônica não transmissível que é multifatorial. Então, é importante adotar uma alimentação mais saudável, com a presença de frutas e hortaliças, associada à redução do consumo do sal, por conta do sódio, além da prática de atividades físicas. Neste mês, devido ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, comemorado nesta quarta-feira (17), estamos falando sobre esse tema”, explica a nutricionista do Restaurante Comunitário do Gama, Kássia Lemos.

Durante toda esta semana, as 14 unidades prepararam material especial e um mural com dicas de como prevenir a doença e os fatores de risco. “Nesta terça, também entregamos uma amostra de sal de ervas que é uma alternativa muito boa para reduzir o consumo de sódio, já que ele é mais saudável, e ter uma comida bem temperada”, destaca a servidora. Em alguns restaurantes, também estava sendo aferida a pressão arterial.

Frequentador do Restaurante Comunitário do Gama há cerca de dez anos, o pintor Antônio Costa, de 63 anos, considera importante trazer esse tema para o dia a dia.

“Eu já infartei, fiz três pontes de safena, cirurgia, tomo diversos medicamentos, por causa da pressão alta. Hoje sou consciente. A ideia é muito bacana, porque tem muita gente que é desligada e pensa que está tudo bem, não vai ao médico, não cuida da alimentação”, avalia.

O cardápio desta terça também é um dos preferidos dos frequentadores dos restaurantes comunitários: frango à moda caipira, com coxa, sobrecoxa cozida, tomate, cebola e quiabo, polenta, arroz, feijão, salada e, de sobremesa, uma melancia.

“Além de fornecer refeição a um preço acessível à população, também faz parte do Restaurante Comunitário incentivar alimentação saudável e nutricionalmente adequada à população mais vulnerável. Esse é o objetivo das ações mensais de Educação Alimentar e Nutricional. Por isso, pesquisamos sempre assuntos atuais que fazem parte do cotidiano das famílias”, finaliza a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra.

*Com informações da Sedes-DF

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Política Distrital