“Tudo pode acontecer”, diz Bolsonaro sobre ser preso

Ele foi condenado por cometer abuso de poder e pelo uso indevido dos meios de comunicação em uma reunião com embaixadores estrangeiros

0
144

Terminou ontem, em 5 a 2, o julgamento que tornou Jair Bolsonaro inelegível por oito anos. Pela legislação eleitoral, ele só poderá voltar a disputar as eleições em 2030, já que a contagem do prazo começa na data do primeiro turno de 2022, realizado em 2 de outubro, e termina no mesmo dia de 2030, quatro dias antes do primeiro turno, previsto para 6 de outubro.

O ex-presidente voltou a Brasília no final da noite de ontem e conversou com jornalistas sobre a decisão tomada pelos ministros. “Nós temos algo justo no Brasil? Eu estou há 6 meses fora do governo. Nem estava aqui no Brasil no dia 8 de janeiro, continua a perseguição o tempo todo. Vira e mexe me fazem a pergunta: ‘Está com medo de ser preso?’. Tudo pode acontecer”, disse ele.

A ação que o tornou inelegível foi movida pelo PDT. Ele foi condenado por cometer abuso de poder e pelo uso indevido dos meios de comunicação em uma reunião com embaixadores estrangeiros, quando fez alegações infundadas contra o sistema eleitoral.

“Agora, onde vamos parar? O que querem? Me tiraram? Sim, ao que tudo indica, me tiraram. O Lula é democrata? Nem vou falar em corrupção. O Lula é paz e amor? O Lula é a solução para o Brasil? O Lula é menos ódio?”, completou o ex-presidente.

Por Camila Bairros do Jornal d Brasília

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil / Reprodução Jornal de Brasília