Desfile de moda enaltece a beleza das mulheres da terceira idade no DF

Na passarela, as modelos desfilaram com a temática "Saudosos Carnavais" e emocionaram o grande público em um show de encanto e ousadia

0
40

Enaltecer a beleza das mulheres da terceira idade e promover a autoestima. Este foi o objetivo do desfile do GMV Fashion Show, realizado este mês pelo Sesc de Ceilândia. O evento contou com a participação de 20 mulheres idosas do Distrito Federal e funcionou como culminância do curso de moda e beleza desenvolvido na instituição ao longo dos útimos 5 meses. Na passarela, as modelos desfilaram com a temática “Saudosos Carnavais” e emocionaram o grande público em um show de encanto, ousadia e beleza. O Grupo dos Mais Vividos conta com aproximadamente 300 idosos e propõe ações de combate ao etarismo e ao isolamento social.

“Antes de desfilar, olhei no espelho e perguntei se era eu mesma. Nunca imaginei que fosse passar por aquilo. Agradeci tanto a Deus. Me senti como se tivesse com 20 anos”, disse a aposentada Fran Rolim, de 72 anos. “O curso me trouxe uma autoestima muito grande. Me senti linda, bem vestida e fashion. Na nossa idade, jamais esperava um momento daquele tão lindo. Nossas famílias presentes, nossos amigos e todo mundo nos prestigiando. Vendo que éramos capazes”, acrescentou.

No curso, as participantes tiveram a oportunidade de aprender sobre moda, nutrição, maquiagem, etiqueta social, técnicas de vídeo, fotografia e teatro. As atividades foram conduzidas pelo ex-Mister Brasil e professor do Sesc Ceilândia, Leonardo Romanzeira. “Poder desenvolver a prática de temáticas que desencadearam na valorização da vida e da autoestima foi muito gratificante para mim. A mudança foi expressiva e positiva. Desde o humor até na postura. Elas passaram a acreditar mais em si e se tornaram mais confiantes e decididas. Foi lindo ver todo esse processo, fruto de muito trabalho e força em Deus.”

A aposentada Lourdes Tenório, 73, revelou que se sentia tímida e insegura antes de participar do curso. “Eu tinha medo de falar com as pessoas e hoje eu me sinto forte e desinibida. Sinto mais vontade de viver, de trocar de roupa, de me pentear, colocar batom e perfume. Sinto vontade até de ver o dia amanhecer. Nunca imaginei que eu fosse entrar numa passarela e ver familiares, amigos e aquele público todo me aplaudindo. Meus familiares me veem outra mulher. Eu sou outra Lourdes.”

Esta foi a primeira vez que um projeto de moda desembarcou no GMV. A assistente social do Sesc Ceilândia, Layse Tannus contou que o projeto se destacou e que teve um grande impacto na vida das participantes. “A gente ouviu vários relatos e feedbacks especiais. Até dos familiares. A ação combateu o isolamento social e promoveu mudanças de perspectivas. A gente conseguiu perceber nitidamente em cada uma delas.”

Projeto continua em 2024

Em 2024, o projeto pretende alçar voos maiores e atender outras unidades do Sesc-DF, que atualmente conta com aproximadamente 300 idosos. A gerente de Assistência Social do Sesc-DF, Adriana Costa Batista, reforçou a presença da ação no calendário e destacou a questão da valorização da pessoa idosa. “O projeto impactou positivamente nas famílias das participantes. Eram mulheres que estavam com a autoestima baixa e não se sentiam valorizadas. Não se olhavam no espelho e não se sentiam capazes. Reforçamos a importância da questão intergeracional na relação de netos, filhos e avós. É uma questão que a gente precisa trabalhar sempre, até porque estamos envelhecendo. Quando a gente faz um projeto como esse, quebramos as barreiras do preconceito.”

Por Samuel Calado do Correio Braziliense 

Foto: Sesc Ceilândia / Gabriel Moreira / Reprodução Correio Braziliense