Divulgada lista dos novos conselheiros regionais de cultura do DF

Integrantes do colegiado atuam como representantes da sociedade civil nas discussões que envolvem a formulação de políticas públicas culturais

0
7

O Governo do Distrito Federal (GDF) divulgou, nesta quinta-feira (11), a lista dos eleitos para integrar os conselhos regionais de cultura. Os contemplados são representantes da sociedade civil e vão ocupar o posto pelos próximos três anos, conforme prevê a duração do mandato de conselheiro.

relação completa foi publicada no Diário Oficial do DF (DODF) e traz os representantes titulares e respectivos suplentes de todas as 35 regiões administrativas (RAs), divididas em oito macrorregiões.

Criado pela Lei Orgânica da Cultura, o Conselho de Cultura do DF (CCDF) é um órgão deliberativo, consultivo, normativo e fiscalizador, composto paritariamente por representantes da sociedade civil e do Poder Executivo. O colegiado é, hoje, o principal espaço de articulação e participação social na estrutura do Sistema de Arte e Cultura do DF (SAC-DF).

Caberá aos conselheiros selecionados a responsabilidade de propor políticas, programas e diretrizes culturais da capital, além de acompanhar e avaliar as iniciativas públicas voltadas para o setor.

Também é de competência do CCDF avaliar ações e metas consolidadas no Plano de Cultura e deliberar sobre programas, processos e ações que lhe forem submetidos, inclusive pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec-DF), responsável pela coordenação do colegiado.

Caio Dutra está entre os conselheiros eleitos para representar o Plano Piloto no mandato de 2024 a 2027. Representante mais votado da RA, o produtor cultural ocupará a cadeira pela segunda vez. “Fui conselheiro em 2017 e pude participar ativamente da elaboração do Regimento Interno do CCDF. Tive, este ano, a oportunidade de concorrer novamente e fui eleito pela segunda vez”, detalha.

Ele relata que, na condição de conselheiro, terá a responsabilidade de atuar como um intermediário entre a dinâmica cultural e atores do setor com o poder público. “No meu caso, especificamente, atuamos com a administração do Plano Piloto pensando no calendário oficial dos eventos a fim de entender e propor políticas públicas capazes de suprir as principais demandas dos atores da região”, explica.

Além de Dutra, o Plano Piloto conta com outros 21 representantes. Um deles é o estreante Rafael Reis, atuante na dinâmica cultural desde os 18 anos. “É a primeira vez que terei a oportunidade de estar como conselheiro, e nosso trabalho é manter um diálogo constante com o Estado e atores que constroem a agenda cultural da cidade”, destaca. “Temos um papel de escuta da sociedade e dos demais fazedores de cultura. Queremos garantir que o colegiado esteja de acordo com os anseios da sociedade”.

Por Victor Fuzeira da Agência Brasília

Foto: Arquivo Público do DF / Reprodução Agência Brasília