EPTG: a gigante do Corredor Eixo Oeste

O sexto post da série sobre um dos maiores projetos de mobilidade urbana do DF mostra toda a robustez dessa via de 13 km

0
73

A jornada virtual pelo Corredor Eixo Oeste, conduzida pela Secretaria de Obras nas redes sociais, faz sua parada na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). A via passa por cinco regiões administrativas: Taguatinga, Águas Claras, Vicente Pires, Guará e Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). São 13 km de extensão, robustez que coloca a avenida em lugar de destaque dentro do projeto de mobilidade urbana.

Em suas condições atuais, a EPTG está totalmente apta para receber o BRT, sigla em inglês para bus rapid transit (ônibus de trânsito rápido). A última intervenção feita na via alargou o viaduto que fica na entrada de Taguatinga, para que pudesse encaixar no túnel que está em construção. A obra foi concluída em 2020, com um investimento de R$ 5,1 milhões. Além disso, três outros alargamentos foram realizados em toda a extensão da via.

“A via EPTG é a mais importante integrante do corredor eixo oeste. Por ela passam cerca de 140 mil veículos todos os dias – estamos falando de trânsito pesado”, afirma o secretário de Obras, Luciano Carvalho. “A existência do corredor reduz consideravelmente o tempo de deslocamento dos usuários do transporte coletivo. É mais qualidade de vida para quem mais precisa.”

Confira a série sobre o Corredor Eixo Oeste nas redes sociais da Secretaria de Obras! Você pode conhecer mais sobre o projeto de mobilidade urbana pelo Instagram ou pelo Facebook.

Por Agência Brasília

Foto: Arte: Secretaria de Obras / Reprodução Agência Brasília