Estudantes da rede pública de ensino do DF ocupam Campus Party

Cinco mil alunos viram de perto as novidades do mundo digital em uma aula diferente

0
45

Antes de 9h, uma fila de ônibus escolares se formava em frente à Arena BRB Mané Garrincha. Está sendo realizada ali, até domingo (9), a 5ª edição da Campus Party Brasília, o maior evento de tecnologia e inovação do mundo. E, na quinta-feira (6), estudantes da rede pública de ensino do DF se juntaram a milhares de pessoas interessadas em aprender sobre o mundo digital e tiveram uma aula diferente.

No DF, a Campus Party é realizada com o apoio institucional da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) que, com o intuito de ampliar a capacidade de impulsionar e firmar o Distrito Federal como protagonista nesse cenário de inovação e tecnologia global, disponibilizou cinco mil ingressos para a Secretaria de Educação.

Todas as 14 Coordenações Regional de Ensino (CRE) receberam ingressos, que foram distribuídos entre as escolas da região. E cada uma decidiu a melhor forma de selecionar estudantes para a visita, que ocorreu nos três turnos do dia. O Centro de Ensino Médio Integrado do Gama, por exemplo, fez um sorteio entre os alunos interessados.

“Temos cerca de 400 alunos e ganhamos 300 ingressos. A gente criou um sistema para eles demonstrarem interesse e sorteou os alunos para virem”, contou o professor Marcelo Brito, coordenador da educação a distância (EaD) da escola. “Assim, vieram aqueles mais interessado em tecnologia. A gente tem alunos que não têm interesse em seguir na carreira de TI e demonstraram menos interesse”, diz.

Todas as idades

Assim que chegaram, os estudantes se reuniram na arquibancada do estádio, onde foram recebidos pela organização da Campus Party. Depois de receberem um kit lanche, eles visitaram a Arena, a área paga do evento, onde puderam ver computadores de última geração e acompanhar partidas de games.

O Centro de Ensino Fundamental (CEF) 403 de Santa Maria levou 25 alunos com idades entre 9 e 12 anos para conhecer o evento. “Acho que é um aprendizado que abre os horizontes. Eles quase não têm oportunidade de participar de eventos assim”, comenta a professora Michele Cristina.

Na Open Campus, área aberta para o público, os estudantes puderam se divertir vendo o funcionamento de robôs usando os simuladores de voos e de realidade aumentada, além de assistir competições de drones. As crianças e os adolescentes também puderam aprender sobre Internet das Coisas, blockchain, cultura maker, games, educação e empreendedorismo no mundo digital.

“Eu acho que realidade virtual é o futuro. É interessante ver essas tecnologias que não são muito comentadas no Brasil”, avalia Gabriel Farias, aluno do Centro de Ensino Fundamental (CEF) Metropolitana, de apenas 13 anos.

Aluno do Cemi do Gama, Caio Queiroz, 15 anos, não vê a hora de participar de um dos projetos voltados para tecnologia da escola, reconhecida e premiada em concursos de ciências. “Faço o 1º ano, cheguei agora na escola. Mas tenho muito interesse em robótica, esse é o futuro.”

Robótica para a vida

Para os cinco mil estudantes que visitaram a Campus Party, a oportunidade foi aprender sobre o uso de diferentes tecnologias. Outros aproveitaram para expor para os colegas os trabalhos feitos nas escolas. É o caso de 35 alunos do Recanto das Emas participantes do projeto Robótica para a Vida – aluno maker digital.

A iniciativa funciona em três escolas da cidade, tem apoio da CRE Recanto das Emas e teve a participação de 100 estudantes em 2022. Durante a Campus Party, eles expuseram os trabalhos desenvolvidos nas escolas para mostrar que a tecnologia está cada vez mais inserida na vida deles. “Não é só brincar de fazer robô. Eles precisam aprender a usar a robótica e entender que já temos hoje geladeiras que avisam os produtos que precisam ser comprados. Não é mais futuro. É hoje”, ressalta o idealizador do projeto, professor Francenylson Luiz Dantas dos Santos.

Nesta edição, a Campus Party Brasília tem a temática dos games como o carro-chefe, com os campeonatos de e-Sports e palestras voltadas para o assunto. Os brasilienses podem visitar gratuitamente a área Open Campus, das 10h às 21h, e participar de atividades com simuladores de realidade virtual aumentada, batalhas de drones, mostra de projetos acadêmicos e startups. Além disso, podem prestigiar a Campus Play, espaço voltado para os campeonatos de gamers e conteúdos antes focados em jogos digitais, como a Arena de Drones e a Arena Gamer.

A #CPBSB5 vai possibilitar ao público uma imersão com as principais tendências no universo da tecnologia com mais de 200 horas de atividades. A expectativa é reunir mais de 100 mil pessoas na área Open e 7 mil campuseiros na Arena. O público terá a oportunidade de contato com as tendências mais atuais do setor tecnológico.

*Com informações da Secretaria de Educação

Por Agência Brasília

Foto: Reprodução Agência Brasília