Mais de 1,3 mil alunos se formam no 1º ciclo de 2023 do programa RenovaDF

A solenidade, no Ginásio de Esportes do Cruzeiro, contou com a participação do governador Ibaneis Rocha, que fez a entrega simbólica dos diplomas

0
38

Após três meses de capacitação profissional e recuperação dos equipamentos públicos do Distrito Federal, os alunos do 1º ciclo de 2023 do programa RenovaDF concluíram a etapa de qualificação e vão para o mercado de trabalho com habilidades básicas de construção civil e formados no curso de auxiliar de manutenção.

Para celebrar o fim desta fase, os 1.305 aprendizes se reuniram no Ginásio de Esportes do Cruzeiro, para a solenidade de formatura. O governador do DF, Ibaneis Rocha, participou da entrega simbólica dos diplomas, ao lado de diversas autoridades.

Na cerimônia, o chefe do Executivo local destacou a importância da iniciativa como inserção social, ao qualificar ao mesmo tempo em que oferece uma bolsa auxílio aos participantes durante o curso. “Esse programa tem dado oportunidade para milhares de pessoas do Distrito Federal. A gente tem o orgulho de levar adiante cada um dos seus ciclos, não só pelo que vocês fazem pela cidade, mas pelas oportunidades que vocês levam”, definiu.

“Todas as pessoas que se formaram aqui serão inseridas no banco de dados de intermediação de trabalho, para que a gente possa ofertar esse cadastro para todas as empresas”Thales Mendes, secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda

Ibaneis aproveitou para dar um conselho aos formandos: “É agarrar as oportunidades e saber que isso é muito importante para dar qualidade de vida para as suas famílias. Tenho certeza que centenas de vocês vão conseguir espaço no mercado de trabalho e vão recomeçar a vida”.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Thales Mendes, anunciou: “Todas as pessoas que se formaram aqui serão inseridas no banco de dados de intermediação de trabalho, para que a gente possa ofertar esse cadastro para todas as empresas”. O titular da pasta também disse que o histórico aponta que os recém-formados costumam ter empregabilidade no período de sete meses pós-curso.

Aparecida Abadia de Sousa, 58, recebeu o diploma das mãos de Ibaneis Rocha, por ter sido aluna destaque. “Foi muito bom, aprendi muita coisa boa. Nunca pensei que na minha idade eu chegaria aonde cheguei. Mas o Renova me renovou e trouxe muitas coisas boas”, disse.

Daniela de Jesus Souza, 27, só tinha tido vivência profissional como vendedora, então o RenovaDF foi a sua introdução ao mundo da construção civil, mais especificamente com a pintura. “Tive uma experiência maravilhosa, em que pude aprender várias técnicas. Na minha turma, a gente abordou mais a pintura. Estou muito feliz. Fiz amizades e os professores passaram muito conhecimento”, definiu.

“Eu estava desempregada, e esse curso vai me ajudar muito”, defendeu a jovem Camila Batista, 27, uma das formandas do 1º ciclo de 2023. Para ela, o programa é “uma chance que o governo oferece e que é muito boa”.

Já Samuel Gomes Pereira, um dos instrutores do curso, contou que o programa ajuda tanto alunos quanto professores. “É uma oportunidade de crescimento para as pessoas que estão entrando e que passaram por alguma dificuldade, e tem sido uma coisa boa para os profissionais que estão colaborando com os alunos. Todo mundo ganha: a comunidade, os instrutores e os alunos também”, classificou.

Diversidade e reconhecimento internacional

Uma das características do programa é a participação ampla do público feminino, que corresponde a 65% dos integrantes, além da presença de imigrantes e indígenas. “Isso é muito importante. A força feminina que é o grande esteio das famílias da cidade. E nós temos a participação de pessoas que vêm de outros países e que não tiveram oportunidade nos próprios países. Abrimos esse programa para a grande população do Distrito Federal”, destacou o governador Ibaneis Rocha.

“O RenovaDF, para as Nações Unidas, é um exemplo de boa prática que deve ser continuado”Socorro Tabosa, representante da OIM Brasil, entidade da ONU

Essas particularidades do programa têm feito com que a iniciativa reverbere pelo Brasil e o mundo afora. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, o RenovaDF influenciou projetos no Paraná , fora do Brasil, em Marrocos e Camarões. “Isso para gente é muito gratificante, perceber que os observatórios internacionais olham para o RenovaDF como um programa de inserção social e estão levando isso como uma experiência positiva”, disse.

Também presente à formatura, a representante da Organização Internacional para as Migrações (OIM) Brasil, entidade da Organização das Nações Unidas (ONU), Socorro Tabosa, revelou que o projeto tem servido de exemplo para outros países: “O RenovaDF, para as Nações Unidas, é um exemplo de boa prática que deve ser continuado”.

O presidente em exercício do Sistema Fibra, Pedro Verano, defendeu que o programa é uma parceria de sucesso entre público e privado. “O RenovaDF é emoção do início ao fim. O governo vem com esse lado social e consegue dar tranquilidade por três meses para os estudantes. Pelo lado da indústria, a gente qualifica”, destacou.

Como funciona

O programa RenovaDF é uma parceria da Sedet com Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Distrito Federal (Senai-DF). A ação foi lançada em maio de 2021. Até o ano passado, já haviam sido realizados sete ciclos, quando 11 mil pessoas foram formadas e 1.320 equipamentos públicos reformados em 20 regiões administrativas. Nesta etapa, foram contempladas as regiões do Plano Piloto, Cruzeiro, Planaltina, Paranoá e Ceilândia.

O projeto consiste na qualificação profissional de pessoas desempregadas na área de construção civil. As aulas são ministradas em espaços públicos, como praças, parques infantis, quadras poliesportivas e campos de gramado sintético. Ao mesmo tempo em que os alunos aprendem, ajudam a restaurar equipamentos públicos aplicando as práticas do curso.

O curso tem duração total de 240 horas, divididas em três etapas de 80 horas cada. Em cada uma das fases, o candidato tem direito a uma bolsa no valor de um salário mínimo. Recebe, ainda, auxílio-transporte e seguro contra acidentes pessoais, além do uniforme do programa.

Atualmente, o 2º ciclo de 2023 está em atuação nas ruas do DF com 1,5 mil alunos. Já o 3º ciclo de 2023 terá a divulgação dos 2,5 mil selecionados para a etapa, que está prevista para começar em 20 de junho. Ao todo, o ano de 2023 terá seis ciclos.

Por Agência Brasília

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília