Complexo Social da Estrutural centraliza acesso a serviços públicos

Espaço terá um Centro de Referência de Assistência Social (Cras), um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e um posto de atendimento da Defensoria Pública do DF para a população

0
29

Um espaço que estava sem utilidade na Estrutural reunirá importantes serviços públicos para a população local com a criação do Complexo Social de Santa Luzia, no prédio conhecido como protótipo. Três equipamentos do Governo do Distrito Federal (GDF) já estão com instalação confirmada – um Centro de Referência de Assistência Social (Cras), um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e um posto de atendimento da Defensoria Pública do DF.

‌O prédio foi construído em 2018 pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab-DF) e entregue no primeiro semestre de 2021. O espaço de quatro pavimentos surgiu como projeto de moradia mas, devido a questões locais, estava sem destinação. Agora, a área integra a gleba da administração regional e passa por análise para que sejam implantadas as repartições públicas.

“Estamos trabalhando para levar serviços de extrema importância para essa população. Pensamos em incluir uma área para a administração regional, mas achamos melhor trazer mais um órgão para a comunidade. São os órgãos do GDF cuidando dos mais humildes”, frisa o administrador regional Alceu Prestes. A cerca de 12 km da área central de Brasília, a Chácara Santa Luzia reúne mais de 10 mil habitantes e faz parte da região administrativa do SCIA/Estrutural. Ainda está em fase de formalização os serviços da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus-DF).

Um dos pavimentos será ocupado por salas de mediação e de orientação da Defensoria Pública do Distrito Federal. A estimativa é que o serviço alcance a média mensal de 2 mil atendimentos, promovendo assistência jurídica integral e gratuita para os moradores da Estrutural. “Ao oferecer serviços jurídicos e educar a comunidade sobre seus direitos, capacitamos os cidadãos a entender e reivindicar seus direitos, promovendo os direitos humanos, prevenindo injustiças e contribuindo para uma sociedade mais justa e inclusiva”, aponta o defensor público-geral, Celestino Chupel.

Já a nova unidade do Cras pretende atender e referenciar cerca de 5 mil famílias e realizar até 1,2 mil atendimentos ao mês. A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes-DF) afirma que está em andamento a adaptação do layout para a instalação do Cras. Serão deslocados 10 servidores efetivos da secretaria para a atuação no complexo. “A Estrutural é uma região onde moram muitas famílias em situação de vulnerabilidade social. Com mais um Cras, vamos poder ampliar nossa rede de proteção social na comunidade, acompanhar de perto um número maior de famílias e viabilizar um atendimento de qualidade”, destaca a titular da pasta, Ana Paula Marra.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informa que, no caso do Caps I, o processo está em fase de análise do estado de conservação do imóvel para subsidiar a continuidade dos trâmites. O local atenderá crianças, jovens e adultos em classificação geral, além de situações que envolvam consumo e vício em álcool e drogas. “São necessários ajustes para adequar o espaço conforme ambientes mínimos estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, declara a pasta. Atualmente, a Estrutural não tem nenhuma unidade do serviço. A população é atendida pelo Caps Infantojuvenil da Asa Norte, Caps Álcool e Drogas do Guará e Caps II do Riacho Fundo.

Por ‌Catarina Loiola da Agência Brasília

Foto: Divulgação/Administração Regional da Estrutural / Reprodução Agência Brasília