Hospital de Campanha no DF terá 35 leitos e laboratório para exames

A unidade ficará localizada entre o Hospital Cidade do Sol e Unidade de Pronto-atendimento de Ceilândia. A inauguração está prevista para terça-feira (6/2)

0
11

Para auxiliar no atendimento aos pacientes com dengue no Distrito Federal, será montado um Hospital de Campanha da Aeronáutica, em Ceilândia. A unidade de atendimento contará com 35 leitos para hidratação e um laboratório para exames. A previsão é de que o espaço esteja funcionando a partir de terça-feira (6/2). As informações foram confirmadas pelo Brigadeiro Braga, da Aeronáutica, e pela secretária de Saúde do DF, Lucilene Florêncio, durante visita ao local da instalação nesta sexta-feira (2/2).

O anúncio do apoio da Aeronáutica com o Hcamp foi feito durante coletiva de imprensa para tratar da alta nos casos da doença no DF, na manhã dessa quinta-feira (1º/2). A unidade ficará localizada entre o Hospital Cidade do Sol e Unidade de Pronto-atendimento de Ceilândia. Segundo a Secretaria de Saúde (SES-DF), a capital registrou um aumento de 920% neste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado.

O Brigadeiro Braga, da Aeronáutica, explicou que o HCamp ficará como um primeiro atendimento aos pacientes. “A ideia é que a gente monte oito unidades regulares de saúde, ou seja, cerca de 60% de todo o nosso hospital de campanha. Não há necessidade de trazer centro cirúrgico e ortopedia, porque não é essa a finalidade. O atendimento vai ser clínico e pediátrico no apoio aos casos de dengue com diagnóstico ou suspeita. Vamos fazer a parte de atendimento e hidratação rápida, que seriam os casos menos graves, e aqueles que precisarem de uma hidratação mais prolongada até 48h”, disse o militar.

O Brigadeiro enfatizou que, precisando de uma internação mais séria, os pacientes serão encaminhados para um hospital da rede pública de saúde ou para uma UPA. “São 35 leitos de hidratação e duas tendas de atendimento com oito médicos entre clínicos e pediátricos durante 24h por dia e 45 dias”, destacou. “Fomos acionados para apoio ao GDF uma vez que estamos numa situação de emergência. Vamos estar a disposição e funcionando até que a gente possa arrefecer a dengue na cidade”, afirmou.

A secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, destacou que o local foi escolhido levando em conta o ponto de vista técnico. “Por se tratar de uma região onde temos o maior número de casos registrados e uma população de quase 900 mil habitantes”, detalhou. Atualmente, Ceilândia, Pôr do Sol e Sol Nascente concentram 40% dos casos.

Sobre o funcionamento, Lucilene ressaltou que o HCamp fará o acolhimento e a triagem dos pacientes e, precisando ficar até 48h, poderá ficar na unidade. “Carecendo de um tempo maior ou mesmo se a demanda no HCamp for grande, temos ao lado a UPA com 35 leitos, que está trabalhando no limite da sua capacidade. Precisando internar por mais tempo os pacientes, nós temos o Hospital da Cidade do Sol com 60 leitos e faremos o remanejamento e adequação dentro da região para que voltemos a utilizá-lo dentro da capacidade plena, sendo 40 leitos de enfermaria e 20 de unidade de cuidados intermediários”, detalhou.

A visita ao local onde será montado o HCamp também contou com a presença da vice-governadora do DF, Celina Leão, e do chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha.

Mortes por dengue

Ao todo, no DF, foram confirmadas seis mortes por dengue em 2024. Destes óbitos, cinco são do sexo masculino e uma do sexo feminino, sendo que uma vítima era uma criança entre 5 e 9 anos, duas entre 70 e 79 anos e a demais entre 20 e 49 anos. Além destas mortes já confirmadas pela doença, há mais 24 em investigação, que podem ter sido causadas pela doença, inclusive de um bebê.

Por Júlia Eleutério do Correio Braziliense

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press / Reprodução Correio Braziliense