Folião precavido curte os bloquinhos com atenção à segurança

No último ano, 74% das ocorrências registradas durante o Carnaval foram de furtos e roubos, a maioria deles de celulares. Confira dicas da Polícia Militar do DF para evitar transtornos

0
23

O feriadão de Carnaval tem festejos que levam milhares de pessoas às ruas de Brasília. Além de folia e blocos na rua, a ocasião requer cuidados, principalmente, em relação aos celulares.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), entre os crimes registrados no Carnaval de 2023, o furto de celulares se destacou com 56% dos registros, seguido pelas ocorrências de furtos diversos (14%) e pelos roubos a transeuntes (4%). Juntos, os três crimes concentram 74% do total de ocorrências registradas durante o período.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) dá algumas dicas para que a população possa curtir segurança. Entre as orientações, conferir itens como celular, documentos e dinheiro, que devem estar guardados em bolsas pequenas por segurança, como pochetes e doleiras, ou até escondido dentro da calça, sem estar visível no bolso ou na bolsa.

“No Carnaval tem uma grande aglomeração de pessoas, consumo de bebida alcoólica e as pessoas estão mais relaxadas. Muita gente vai com o celular para esses eventos e fica no meio da multidão tirando foto, filmando. Daí corre muito o risco de ser furtado. A gente não aconselha a fazer isso. O melhor é levar o mínimo de objetos possível”, orienta o major Michello Bueno, da PMDF.

Cuidados importantes

Outro ponto importante destacado pelo major é o do autocuidado. “Muita gente passa mal porque não leva água ou um lanche leve. É bom levar também protetor solar”, reforça o militar.

O major ressalta que é proibido levar objetos que possam ser usados como arma, para garantir a segurança dos foliões, como facas, por exemplo. “Isso é um perigo. A Polícia Militar vai fazer o procedimento necessário, vai prender, deter a pessoa e levá-la para o posto policial. Então, evite levar mesmo que seja por outro motivo”, frisa Michello.

Crianças perdidas

Todo ano, a Polícia Militar divulga o programa da Carteirinha de Identificação Infantil, que fica disponível no site da PMDF. Basta preencher as informações, gerar o crachá, imprimir e colocar na criança.

A PMDF também vai realizar a distribuição de pulseiras de identificação infantil em postos montados nos bloquinhos públicos infantis. A pulseirinha facilita a identificação infantil por ser melhor fixada, dificultando a perda.

“Caso ela se perca, além do pai orientar para que sempre procure um policial militar em casos assim, com a identificação, a gente consegue ter facilidade de encontrar os pais da criança. Porque muitas vezes a criança não consegue ajudar porque não tem o telefone do pai, não consegue localizar os responsáveis ou onde ela mora”, explica o PM.

Perdas e roubos

Durante o Carnaval, é montado um completo aparato policial, conhecido como Cidade da Segurança. A estrutura ficará ao lado da Torre de TV, região de fácil acesso para os foliões. Trata-se de uma central onde as pessoas podem procurar os policiais, com várias câmeras espalhadas para que a Polícia Militar monitore todo o evento carnavalesco.

Em caso de perda ou roubo de pertences durante o Carnaval, o local poderá ser procurado pela população, que também será para onde os policiais levarão as crianças perdidas. “É um local que dá um suporte para a população e tem sido uma estratégia que a gente tem usado nos últimos anos”, detalha Michello.

Por Jak Spies da Agência Brasília

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília