CED 4 do Guará bate recorde de aprovação na UnB

Com metodologia de ensino que tem como foco a autoestima, unidade tem seis alunos classificados no último vestibular da Universidade de Brasília

0
72

Um feito inédito marcou o início deste ano no Centro Educacional (CED) 4, no Guará. O colégio viu seis de seus alunos serem aprovados no último vestibular da Universidade de Brasília (UnB), número bem superior aos habituais dois ou três por ano. A receita para o sucesso passa pela oferta de um ambiente acolhedor e por uma metodologia de ensino cujo foco é a autoestima dos estudantes.

O CED 4 abre suas portas em três turnos diários para atender 1.200 alunos da 6ª série do ensino fundamental ao último ano do ensino médio, além de integrantes do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A proximidade com a estação de metrô garante uma maior diversidade entre os estudantes – 90% deles moram na Estrutural. Em sala de aula, 67 professores lecionam em 36 turmas.

A unidade escolar do Guará tem 50 anos de idade. Quem trabalha lá há muito tempo garante que o ambiente nem sempre foi bonito e confortável como hoje em dia.

É o que conta a vice-diretora do CED 4, Ana Patrícia dos Santos. “Estou aqui há 25 anos, os dois últimos como membro da diretoria. E já vi esse prédio em um estado deplorável, com salas abafadas e banheiros sem condições de uso”, garante.

Dados da Coordenação Regional de Ensino do Guará apontam que, desde 2019, o CED 4 recebeu cerca de R$ 670 mil em recursos provenientes do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf) e de emendas parlamentares. O montante foi investido em diversas melhorias na infraestrutura do prédio. A última reforma, no valor de R$ 450 mil, está em execução.

Acolhimento

“Estamos trocando toda a parte elétrica do prédio, bem como o forro do teto. E o piso está passando por tratamento e pintura. Também faremos obras no estacionamento interno da escola”, afirma Ana Patrícia. “Até o próximo dia 13, data marcada para o início das aulas, estará tudo prontinho para recebermos os alunos. ”

A função de um ambiente escolar acolhedor, de acordo com a coordenadora regional de ensino do Guará, Fernanda Mateus, supera questões estéticas. “Criar um local propício para a aprendizagem tem toda uma relevância pedagógica”, ensina. “O estudante se sente pertencente, vê a escola como sua segunda casa. Além disso, é uma boa maneira de aprender, na prática, os conceitos de cuidado e zelo”.

O diretor do CED 4, Rogério Nunes Passos, observa ainda que o acolhimento dos alunos não se limita à oferta de um espaço de estudo agradável. O aspecto cognitivo e afetivo também está no foco do corpo docente da unidade. “Os professores investem em palestras motivacionais e trabalham a autoestima dos jovens para que eles acreditem no seu próprio potencial”, aponta. “Também damos todo apoio no processo de matrícula no vestibular”.

Esse suporte foi essencial para a futura aluna da UnB Ellen Santos Machado. A jovem de 21 anos foi classificada para cursar história, no último vestibular da instituição. E relembra com carinho da influência que seus professores tiveram na aprovação. “Eles passavam pelas salas avisando os estudantes sobre os prazos de inscrição. E sempre nos incentivaram muito a estudar”, comenta. “Minha gratidão é enorme”.

Por Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília