GDF investe em refeições saudáveis nas unidades socioassistenciais

São quatro novos contratos assinados com empresas terceirizadas, já com o novo termo, que entraram em vigor desde janeiro

0
83

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) alterou o termo de referência para oferta de refeição e lanches nas unidades socioassistenciais, de modo a garantir uma alimentação mais saudável para acolhidos pelos locais.

São quatro novos contratos assinados com empresas terceirizadas de fornecimento de alimentos, já com o novo termo, que entraram em vigor desde janeiro. Os quatro contratos têm valor total de R$ 10.116.896,52.

“A ideia é que os gestores de todas as unidades vinculadas à Sedes tenham como opções produtos mais saudáveis para servir aos usuários”, explica a diretora técnica de Segurança Alimentar da Sedes, Regina Kowalczuk.

Com isso, por exemplo, em vez de servir suco de caixinha, as unidades passam a oferecer suco da polpa da fruta ou in natura; as frutas tem que ser variadas e, preferencialmente, da safra; os usuários poderão ter queijo branco em algumas refeições, que é um queijo mais leve e saudável; pão integral e salgado recheado.

“Nós já estávamos estudando essas mudanças nos últimos anos, e, à medida que foram vencendo os contratos, nós fomos incluindo nas novas licitações essas alterações no termo de referência”, reforça a diretora técnica.

A secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra, destaca o empenho da gestão em garantir segurança alimentar e nutricional e uma alimentação nutricionalmente adequada.

“Para as famílias em vulnerabilidade social, o Governo do Distrito Federal [GDF] oferece uma rede ampla de proteção que vai desde a produção do alimento, por meio da agricultura familiar, até a entrega do Cartão Prato Cheio e a refeição que é servida nas unidades socioassistenciais e nos restaurantes comunitários”, ressalta.

Entre as ações, a secretária destaca a convocação de nutricionistas aprovados no último concurso da Sedes. “Foi um reforço importante na nossa equipe. Hoje, todos os 14 restaurantes comunitários têm um nutricionista do GDF para acompanhar a oferta de refeições e entender as demandas da população. Acrescentamos a oferta de café da manhã em nove unidades. Em breve, teremos o jantar”, pontua. “Temos ainda o Cartão Prato Cheio e o Cartão Gás, que viabilizam a essas famílias cozinharem, fazerem as refeições em casa.”

A ideia é que, agora, todas as unidades socioassistenciais da Sedes, incluindo as casas de acolhimento, Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Cecon), Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e centros Especializados de Referência de Assistência Social (Creas) reforcem junto aos usuários a importância da adoção de hábitos alimentares saudáveis.

As informações são da Agência Brasília

Por Redação do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília