Oito em cada dez passageiros aprovam o Metrô-DF

Presidente faz balanço do sistema e fala sobre os planos de expansão para os próximos 5 anos

0
50

Recente pesquisa de satisfação feita com usuários do Metrô-DF mostra que 82,5% dos passageiros consideram ótimos ou excelentes os serviços prestados pela Companhia do Metropolitano do Distrito Federal. Modal importantíssimo para a mobilidade urbana da capital, o metrô transporta, em média, 135 mil passageiros por dia. Mas, nos dias úteis, esse número chega a 160 mil.

“O Metrô-DF faz parte da vida do morador do DF e mesmo do Entorno. Hoje já recebemos de volta quase a totalidade dos brasilienses que usavam o metrô antes da pandemia. O brasiliense demonstra total confiança no sistema”, diz o presidente da companhia, Handerson Cabral. A data de hoje, 31 de março, marca os 22 anos da Operação Branca, quando os primeiros trens começaram a circular em fase de testes no trecho entre Central e Samambaia.

Desde 2019, mesmo com uma pandemia no meio do caminho, que obrigou a empresa a desviar a rota de investimentos para garantir em primeiro lugar a segurança sanitária da população, o Metrô-DF ampliou a oferta de serviços e fez uma série de melhorias. Antecipou o horário de abertura das estações de 6h para 5h30, abriu três novas estações (EPQ, 106 Sul e 110 Sul), investiu em obras de manutenção para a segurança dos trilhos e redução do barulho na via.

Além disso, houve modernização do sistema de energia e na bilhetagem, com a implantação da cobrança por QR Code e do sistema de pagamento por aproximação, usando o cartão de crédito diretamente nos bloqueios (catracas) e reduzindo as filas nas bilheterias.

Segundo o presidente da companhia, o GDF investe, em média, R$ 180 milhões por ano em manutenção, seja preventiva, seja corretiva, garantindo a segurança do sistema, que não registrou nenhum incidente envolvendo usuários. “O cidadão do DF pode ter confiança plena de que todas as ações de manutenção são realizadas, em todos os nossos sistemas, para que eles tenham uma condição segura de transporte.”

Handerson Cabral fez um balanço dos próximos projetos, que vão trazer melhorias para o sistema nos próximos cinco anos. Já está em fase de licitação a expansão da linha 1 do metrô, no ramal Samambaia. A licitação prevê a extensão da via em 3,6 quilômetros, a partir do Terminal Samambaia.

No novo trecho, haverá duas estações, uma próxima à UPA de Samambaia e outra, que passará a funcionar como terminal, próxima ao Centro Olímpico. Serão instaladas ainda três subestações retificadoras de energia, que, além de atender ao novo trecho, reforçarão a capacidade energética do sistema. Estão previstos três viadutos e quatro passarelas de pedestres.

Com investimentos da ordem de R$ 345 milhões, a previsão de duração das obras é de quatro anos. O projeto de expansão deve beneficiar uma população de 10 mil pessoas.

Em relação a Ceilândia, a companhia está atualizando os projetos existentes, fazendo outros estudos complementares e buscando a obtenção de licença prévia para o projeto de expansão. A ideia inicial é estender o trecho Ceilândia em 2 quilômetros e construir duas novas estações.

“Também temos o compromisso de levar adiante o projeto da Asa Norte. Vamos contratar os estudos dos projetos de geologia e estruturais até a estação do Hran (Hospital Regional da Asa Norte)”, explica Handerson Cabral.

O presidente também destaca a importância das melhorias no sistema de sinalização e controle e do sistema de energia, que podem garantir a ampliação da capacidade de transporte. “Com isso, será possível aumentar a frota de trens em circulação e reduzir os intervalos da viagem”, conclui.

*Com informações da Companhia do Metropolitano do DF

Por Agência Brasília

Foto: Tony Oliveira/ Agência Brasília / Reprodução Agência Brasília