PCDF prende empresário que comandava esquema de cerveja vencida

A empresa está interditada desde o dia 30/03/23 quando a PCDF flagrou funcionários alterando a data de validade de cervejas para comercializar

0
70

Oriundo do estado de Recife-PE, o empresário que comandava o esquema de venda de cerveja vencida em Brazlândia, foi preso preventivamente pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), assim que desembarcou no Distrito Federal. O empresário chegou ao DF na manhã desta terça-feira (04), e foi localizado ao entrar em um hotel na região central de Taguatinga-DF.

Segundo as investigações, o pernambucano seria o proprietário da empresa que envasava e comercializava água mineral,em Brazlândia-DF, fechada pela Vigilância Sanitária no dia 30 de março deste ano, após operação policial.

A empresa trabalhava fazendo o envasamento de água mineral, porém, nos últimos meses, passou a alterar e comercializar latas de cerveja vencidas, remarcando a data de validade.

“A adulteração ocorria em Brazlândia, mas as ordens emanavam de Recife, com o empresário à frente do esquema”, afirma o Fernando Cocito, Delegado-Chefe da 18ª Delegacia de Polícia (Brazlândia).

No total, 152 mil latas de cerveja vencidas foram apreendidas pela polícia. Na empresa, a operação policial localizou latas de cerveja com a numeração suprimida e latas já remarcadas, todas vencidas. O gerente da empresa foi preso em flagrante e 20 funcionários foram flagrados remarcando a data de validade de paletes de cerveja.

A prisão preventiva foi determinada pelo juiz da Vara Criminal e Tribunal do Júri de Brazlândia, e de acordo com segundo o Magistrado, o empresário apresentava risco de continuar a cometer o crime caso permanecesse solto. Se condenado, o proprietário está sujeito a uma pena de detenção de 2 a 5 anos, ou multa.

Outros crimes

No ano de 2016, o mesmo empresário foi preso na Operação “Longa Manaus”, da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), suspeito de atrapalhar a investigação de uma organização criminosa. No mesmo ano, o pai do empresário foi preso na Operação Tsunami da PCPE, suspeito de fraudar licitações na prefeitura de Catende/PE.

Por Tereza Neuberger do Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília