Programa do GDF leva mais de 150 estudantes a visitas em embaixadas

Desenvolvido pela Secretaria de Relações Internacionais, o Pepa aproxima alunos de escolas públicas a missões diplomáticas e levará embaixadores às escolas

0
49

A Embaixada do Bahrein – pequeno território localizado no Oriente Médio, próximo à Arábia Saudita e ao Catar – abriu suas portas, nesta terça-feira (9), para 21 estudantes da Escola Classe 111 Sul. A manhã foi de diversão e muito aprendizado para a garotada que participou do Programa Embaixada de Portas Abertas (Pepa), realizado pela Secretaria de Relações Internacionais (Serinter).

O conselheiro da embaixada, Fahad Alfaihani, responsável por receber os alunos, destacou a oportunidade criada pelo projeto de mostrar o país aos brasileiros e também de explicar aos estudantes o papel de um diplomata. “Uma grande oportunidade para apresentar meu país que, embora geograficamente pequeno, é grande em sua história, com uma civilização que se estende por mais de 5 mil anos”, contou.

“O Pepa promove um intercâmbio importante com ganhos para todos: tanto os estudantes, que têm a oportunidade de conhecer outras culturas, quanto os embaixadores, que conhecerão mais sobre a educação brasileira, principalmente a aplicada no Distrito Federal”Paco Britto, secretário de Relações Internacionais

As crianças se divertiram, aprenderam sobre a história do Bahrein e até arriscaram algumas palavras ensinadas a eles durante a visita. Mas, certamente, a hora do lanche, repleto de comidas típicas como quibe, esfirra e falafel (bolinho de grão de bico), foi um dos momentos que mais fizeram sucesso com a garotada.

A visita desta terça foi a última promovida, neste semestre, dentro da primeira fase do Pepa, que contemplou sete instituições de ensino em sete embaixadas, promovendo o intercâmbio cultural para cerca de 150 estudantes do DF. A segunda fase terá início em 11 de maio e fará o caminho inverso: levar os embaixadores das missões diplomáticas para visitar as escolas.

“O Pepa promove um intercâmbio importante com ganhos para todos: tanto os estudantes, que têm a oportunidade de conhecer outras culturas, quanto os embaixadores, que conhecerão mais sobre a educação brasileira, principalmente a aplicada no Distrito Federal”, destacou o secretário de Relações Internacionais, Paco Britto.

Viagens em minutos

Na semana passada, outras duas embaixadas foram visitadas. Na primeira, 22 estudantes do Centro de Ensino Fundamental 4, de Sobradinho, tiveram a oportunidade de aprender um pouco mais sobre Cabo Verde, país africano que também fala português, e até provar da tradicional sopa de milho e carnes, a cachupa rica.

“É um momento único para a embaixada porque é muito importante ter essa troca com o país onde estamos inseridos, manter a conectividade, e fazer com que estudantes, mesmo sem entrar em um avião, estejam em Cabo Verde, ainda que por alguns minutos”, ressaltou a ministra da Missão Diplomática, Maria Goretti Santos.

Já o Centro de Ensino Fundamental 15, de Taguatinga, levou 22 alunos para aprender sobre a Indonésia, país que é considerado o maior arquipélago do mundo. “Sejam todos bem-vindos nesta viagem à Indonésia”, disse o embaixador Edi Yusup às crianças, antes da apresentação de um vídeo mostrando a história, os costumes e a cultura do país. A culinária – que foi servida aos alunos como o famoso bolinho de gergelim e o macarrão frito -, e as vestimentas tradicionais do país asiático foram o que mais chamaram a atenção dos estudantes.

*Com informações da Serinter-DF

Por Agência Brasília

Foto: Maria Luiza Lourenço/Serinter-DF / Reprodução Agência Brasília