Conheça quatro escolas que desfilarão no Carnaval fora de época do DF

Tudo pronto para Bola Preta de Sobradinho, Unidos da Vila Paranoá, Acadêmicos do Riacho Fundo II e Coruja Serrana entrarem na avenida, entre 23 e 25 de junho

0
66

Depois de nove anos, 13 escolas de samba e blocos carnavalescos voltam a se apresentar a partir desta sexta-feira (23), no Eixo Cultural Ibero-americano. O evento é promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), com entrada gratuita.

“O Governo do Distrito Federal (GDF) fez um verdadeiro resgate das escolas de samba, para que elas possam mostrar não só a sua arte, mas também o que elas representam para a economia do DF”, diz o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

“O público vai poder prestigiar grandes escolas de samba, que têm uma forte identidade cultural com essa cidade, fazendo um espetáculo a céu aberto, ali no Eixo Cultural Ibero-americano”, afirma a subsecretária de Difusão e Diversidade Cultural, Sol Montes.

A festa será entre os dias 23 e 25 de junho, com shows e apresentações de blocos, além do tão esperado desfile. Nesta terceira matéria da série sobre as principais escolas de samba do Distrito Federal, apresentamos a Bola Preta de Sobradinho, a Unidos da Vila Paranoá, a Acadêmicos do Riacho Fundo II e a Coruja Serrana.

Dessas, a Bola Preta é a única que desfila no grupo especial, em que ingressou em 1988. É uma escola pioneira, fundada em 1974, por um grupo de militares transferidos do Rio de Janeiro que, embora nunca tenha conquistado o primeiro lugar, teve destaque nos primeiros desfiles dos anos 2000, quando chegou a conquistar segundos lugares em 2006 e 2007. A posição de 3º lugar foi conseguida pela escola por três vezes, em 2008, 2010 e 2013.

“O Governo do Distrito Federal (GDF) fez um verdadeiro resgate das escolas de samba, para que elas possam mostrar não só a sua arte, mas também o que elas representam para a economia do DF”Bartolomeu Rodrigues, secretário de Cultura e Economia Criativa

A Unidos da Vila Paranoá estreou na passarela do samba em 2007, trazendo Joãozinho Trinta como coordenador de Carnaval. Este ano, vai para a avenida para contar a história de um boêmio. O enredo é Paixão Boêmia, Malandragem e Fé. Pode me chamar de Seu Zé.

Nascida em 1999 com o objetivo de promover ações que agreguem e resgatem os diferentes estilos culturais do país, a Unidos do Riacho Fundo II participou pela primeira vez do Carnaval do DF em 2011 . Além dos desfiles, a associação oferece diversas expressões culturais, como a dança afro, a capoeira, o samba com suas variações e os festivais de pagode, entre outras atividades socioculturais, como forma de interação com a comunidade. Em 2014, conquistou o campeonato na categoria Blocos de Enredo.

Infraestrutura e segurança

Por conta dos desfiles, as pistas próximas ao Eixo Cultura Ibero-americano sofrerão alteração. A logística dessa operação está a cargo da Polícia Militar (PMDF) e do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF). Na prática, três faixas da Via S1 serão bloqueadas, entre o Clube do Choro e o Eixo Cultural Ibero-americano até o fim de semana. A ação foi necessária para abrigar os carros alegóricos que serão estacionados nas vias próximas ao canteiro central. Até domingo, as faixas exclusivas do Eixo Monumental serão liberadas a todos os motoristas.

Para facilitar a atuação da segurança pública, será montada, ao lado da Torre de TV, a base da Cidade Policial, estrutura que servirá como ponto de apoio aos agentes de segurança. Os comandos móveis das corporações estarão a postos para atuação durante a folia.

A Secretaria de Transporte e Mobilidade também elaborou programação para os foliões que vão curtir o desfile. As linhas de ônibus que têm como destino a Rodoviária do Plano Piloto serão reforçadas. As viagens extras ocorrerão de acordo com a demanda de passageiros, principalmente no início e no fim dos desfiles.

Programação

A programação começa no dia 22 de junho, com a lavagem da avenida. Para além do tão aguardado desfile das escolas de samba, a festa terá shows de artistas nacionais consagrados como Dudu Nobre, Vai pro Sereno e Cacique de Ramos. A apuração será no domingo.

Desfile das Escolas de Samba do DF
Data: 23 a 25 de junho
Local: Eixo Cultural Ibero-americano (antiga Funarte), ao lado da Torre de TV
Entrada gratuita

22/6 (Quinta)
19h – Lavagem da avenida

23/6 (Sexta)
15h40 – Samba das Pretas
17h10 – Dudu Nobre
18h40 – Vou Pro Sereno

Desfile do Grupo de acesso
20h – Coruja Serrana de Sobradinho II
21h10 – Gruvipi Unidos de Vicente Pires
22h10 – Unidos da Vila Paranoá
23h10 – Unidos do Varjão

Desfile do Grupo especial
0h15 – Unidos da Vila Planalto / Lago Sul
1h15 – Águia Imperial de Ceilândia
2h30 – Unidos do Cruzeiro (Aruc)

24/6 (Sábado)
14h10 – Matuskela
15h40 – Bloco dos Raparigueiros
17h10 – Os Criollos
18h40 – Cacique de Ramos

Desfile do Grupo de acesso
20h – Acadêmicos do Riacho Fundo II
21h10 – Capela Imperial de Taguatinga
22h20 – Acadêmicos de Santa Maria

Desfile do Grupo especial
23h10 – Mocidade do Gama
0h15 – Bola Preta de Sobradinho
1h15 – Acadêmicos da Asa Norte

25/6 (Domingo)
12h – Alexandre do Samba
13h – Kris Maciel
14h – Apuração Grupo de Acesso
16h – Apuração Grupo Especial
18h – Roda de Samba Sagaz
19h – Milsinho
20h – Délcio Luiz

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Por Agência Brasília

Foto: Hugo Lira/Secec / Reprodução Agência Brasília