PCDF prende suspeitos de matarem família de cabeleireira

Suspeito era amigo da família e prestava serviços ao sogro de Elizamar. Na quinta-feira (12/01), a cabeleireira e seus três filhos desapareceram

0
80

Dois homens foram presos na manhã desta terça-feira (17), suspeitos de envolvimento no desaparecimento de oito pessoas da mesma família. Elizamar da Silva e seus três filhos desapareceram na última quinta-feira (12), após saírem da casa da avó das crianças. Apenas três dias depois, o marido de Elizamar, Thiago Gabriel Belchior, sogro, sogra e uma tia das crianças sumiram.

O primeiro preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) foi identificado como Gideon Batista de Menezes no Recanto das Emas e foi para a 6ª Delegacia de Polícia, no Paranoá. Pouco depois, um segundo suspeito identificado como Horácio Carlos Ferreira Barbosa, de 49 anos, foi preso. De acordo com o delegado, Ricardo Viana, o homem chegou à delegacia com as mãos e braços queimados, e disse que trabalha com o sogro da cabeleireira, que também está desaparecido.

Na última sexta-feira (13/01), o carro de Elizamar foi encontrado na GO-436, próximo à Luziânia, com quatro corpos carbonizados. Os cadáveres foram identificados por parentes como sendo da cabeleireira e seus filhos. No entanto, ainda não há confirmação oficial dos investigadores. Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), os corpos foram encaminhados para Goiânia e passarão por uma análise de ossadas e material genético. Não há previsão para o resultado da identificação.

Durante a madrugada, o carro do sogro da mulher, Marcos Antônio Lopes de Oliveira, foi encontrado na BR-251, próximo à Unaí (MG), com outros dois corpos carbonizados. Os outros dois cadáveres ainda não foram identificados pelos investigadores.

O caso

O misterioso caso se iniciou com o sumiço de Elizamar da Silva, de 39 anos, e seus três filhos, com idades entre 6 e 7 anos, ainda na semana passada. A mulher é dona de um salão de beleza, localizado na quadra 307 da Asa Norte.

A empresária deixou o salão, com os filhos e uma funcionária. A passageira recebeu carona até uma parada de ônibus e, por volta das 22h, informou à Elizamar que desembarcou do transporte público. Nesse momento, a cabeleireira respondeu que passaria no condomínio da sogra para buscar o marido, no Condomínio Residencial Novo Horizonte, no Itapoã.

A cabeleireira ficou no condomínio por cerca de 20 minutos. A funcionária do salão de Elizamar ainda disse à polícia que voltou a se comunicar com a patroa cerca de 40 minutos depois que foi deixada na parada de ônibus, mas não obteve resposta. O histórico de localização do celular de Elizamar, por volta da 0h30, indicou “não há modo trajeto”. O rastreio mostra que o carro passa por um posto de gasolina e, por último, pela BR-260.

À polícia, o filho mais velho da cabeleireira disse que a mãe dele chegou a se desentender com o companheiro ainda naquela noite. Em seguida, Elizamar saiu com os três filhos. No dia seguinte, o veículo foi encontrado carbonizado, com os quatro corpos dentro.

Já no domingo (15), um segundo boletim de ocorrência foi registrado na 33ª Delegacia de Polícia, em Santa Maria, por familiares que informaram o desaparecimento das outras quatro pessoas. O marido da empresária, a mãe dele, Renata Juliene Belchior, de 52 anos, o pai dele, Marcos Antônio Lopes de Oliveira, de 54 anos, e a tia das crianças e irmã de Thiago, Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos.

Na madrugada desta segunda-feira (16), a polícia disse que encontrou outro veículo incendiado, um Fiat Siena que pertencia ao avô das crianças, na BR-251, altura de Unaí (MG). Dentro do carro, havia outros dois corpos carbonizados.

Elizamar é moradora de Santa Maria, no DF, e vive há dez anos com o marido. Ela é mãe de um rapaz de 24 anos, de uma jovem de 18 anos, e das três crianças que estão desaparecidas: os gêmeos Rafael e Rafaela da Silva, de 6 anos, e Gabriel da Silva, de 7 anos.

Por Jornal de Brasília

Foto: Reprodução Jornal de Brasília