Blitz educativa reforça a prevenção aos incêndios florestais no DF

Ações encabeçadas pela Sema orientam a população sobre os riscos e cuidados para a preservação das unidades de conservação

0
34

Com objetivo de conscientizar e alertar a população sobre a proibição da queima de lixo e restos de poda, que são as principais causas de incêndios florestais do DF, equipes do Governo do Distrito Federal (GDF) estão mensalmente nas vias e estradas próximas às unidades de conservação fazendo blitz educativas.

As ações anuais são coordenadas pela Secretaria do Meio Ambiente e Proteção Animal (Sema) e vão de março até julho, antes da temporada de estiagem, período em que aumenta a ocorrência de incêndios florestais no DF.

”Nesse período, o trabalho é preventivo e de conscientização. Abordamos e orientamos a população sobre a importância da preservação das unidades de conservação, entregamos material educativo e apresentamos as alternativas que podem ser utilizadas para minimizar os riscos de incêndio. Como ainda não entramos na fase de estiagem, fazemos esse trabalho preventivo. A partir de julho, começam as ações de combate”, explica Carolina Schubart, coordenadora do Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Ppcif) da Sema.

Serão feitas até julho mais três blitze em regiões de grande relevância ambiental para o DF. No dia 26 de maio, no Parque Nacional de Brasília; em junho, no Jardim Zoológico de Brasília; e em julho, na Estação de Águas Emendadas.

Schubart ressalta que “95% dos incêndios florestais são oriundos de ações humanas e justamente na temporada de seca. Fizemos um levantamento recente que, apontou que a maioria das queimadas ocorrem após as pessoas colocarem fogo em resíduos de podas de árvores e de lixo. Isso é crime e precisamos alertar, conscientizar e orientar que podem acionar órgãos do GDF, como Novacap, SLU e a própria administração para auxiliá-los com esses resíduos.”

O trabalho educativo realizado na campanha não é feito isoladamente com os motoristas e abrange também as escolas. “A campanha começa nas escolas. Primeiro trabalhamos o tema na escola, conscientizando as crianças. Em seguida elas participam da abordagem aos motoristas. Os alunos se tornam multiplicadores, levam as informações para os familiares e a população adora”, completa a coordenadora.

Outras ações preventivas

Entre os meses de março e novembro o DF entra em estado de emergência ambiental devido às queimadas. Neste período o GDF adota as medidas necessárias para prevenir e minimizar as ocorrências e os efeitos dos incêndios florestais.

“É o período em que contratamos os brigadistas, efetuamos as compras de materiais necessários para as ações de combate, realizamos os aceiros nos parques [técnica utilizada para prevenir ou atrasar os incêndios florestais], participamos de cursos de qualificação e colocamos em prática o plano de prevenção”, detalha Schubart.

O Plano de Prevenção e Combate aos Incêndios funciona como um sistema de parcerias institucionais que visam à proteção do Cerrado e à articulação entre os órgãos com o objetivo de otimizar os recursos humanos e materiais para execução do plano de prevenção.

Além da Sema, fazem parte do grupo 24 instituições: Jardim Botânico de Brasília, Instituto Brasília Ambiental, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Secretaria de Saúde, Fundação Jardim Zoológico de Brasília, Novacap, Caesb, SLU, Seagri, Emater, administrações regionais, Ibama, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), UnB, DER, Marinha, Aeronáutica, Exército e Polícia Rodoviária Federal.

Por Agência Brasília

Foto: Sema/Divulgação / Reprodução Agência Brasília