Investigadora da PCDF ganha R$ 15 mil em “Quem Quer Ser Um Milionário”

A policial errou uma questão que perguntava quem proclamou a República, afirmando que a tarefa foi realizada por um marechal

0
62

Uma investigadora da Polícia Civil do Distrito Federal ganhou R$ 15 mil durante o desafio do quadro “Quem Quer Ser Um Milionário” do Domingão com Huck, exibido pela “TV Globo” neste domingo (26/11).Luana de Ávila, de 39 anos, também é diretora do Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sindipol).

No programa, ela contou que atua na área de crimes de menor potencial ofensivo, como brigas entre vizinhos. Mãe de três filhos, Luciana é moradora do Plano Piloto e conta que desde cedo teve que cuidar da mãe, que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e ficou paraplégica aos 44 anos.

A investigadora é formada em direito e também representa a PCDF em competições esportivas internacionais de Futsal. Ela já competiu nos Jogos Mundiais de Bombeiros e Policiais Civis. A investigadora poderia ganhar R$ 1 milhão, caso respondesse corretamente a 15 perguntas, dos mais diversos temas.

No entanto, ela errou a pergunta que valia R$ 20 mil. O apresentador, Luciano Huck, questionou qual autoridade declarou oficialmente a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. Luana respondeu que foi um marechal, em referência ao marechal Deodoro da Fonseca.

Porém, quem oficializou a proclamação da República, fazendo o Brasil deixar para trás o período do Império, foi o jornalista José do Patrocínio, na época, um dos poucos negros a ocupar cargo político. Patrocínio era vereador e proclamou a República na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Ele era filho de uma mulher escravizada, que tinha sido abusada por um padre branco – algo que ocorria com frequência na época.

Após liderar a luta armada contra a monarquia, Deodoro da Fonseca ficou doente e não declarou a mudança de regime. Então Patrocínio decidiu fazer isso. Marechal Deodoro foi o primeiro presidente da República Velha.

Por Renato Souza do Correio Braziliense

Foto: reprodução/TV Globo / Reprodução Correio Braziliense